Como acompanhar a evolução do crescimento de seu filho/a

Descobrir que seu filho/a apresenta algum distúrbio do crescimento pode ser muito difícil. Mas é importante lembrar que você não está sozinho, estamos aqui para auxiliar.

O seu médico provavelmente lhe disse a importância de continuar acompanhando o crescimento de seu filho/a, para garantir que eles estão crescendo conforme o esperado. O artigo a seguir oferece orientação prática e suporte durante sua jornada.

Por que é importante acompanhar o crescimento de seu filho/a regularmente?

O crescimento de uma criança é muito mais do que apenas sua altura; é um indicador importante de sua saúde geral e bem-estar.

Agora que seu filho foi diagnosticado com um distúrbio do crescimento, é importante medir a altura de seu filho/a regularmente e com precisão. Se o seu filho/a for mais velho e já tiver passado pela puberdade, é fundamental continuar medindo sua altura, pois ele/a não crescerá tão rápido e qualquer anormalidade com seu crescimento podem não ser tão clara de identificar.

Como medir seu filho/a

Desde o diagnóstico, você pode sentir que já está se acostumando a medir seu filho/a. Compreendemos que às vezes pode ser difícil ou frustrante, mas queremos tornar isso mais fácil para você. Estima-se que até 70% das alturas das crianças são medidas incorretamente. Lembre-se de que calçados, penteado e postura podem afetar a medição da altura. Dê uma olhada em nosso guia simples para auxiliá-lo.

Medindo seu filho/a

Ao medir o crescimento, lembre-se de ler a medição ao nível dos seus olhos. É melhor medir três vezes e registrar a média das medições.

Ao medir o comprimento do bebê:

Se for detectado um baixo crescimento, possíveis condições de base devem ser consideradas e a criança deve ser encaminhada a um especialista apropriado.

Pediatras, clínicos gerais e enfermeiros possuem um papel crítico na identificação precoce de crianças com retardo no crescimento e no encaminhamento imediato para um especialista para diagnóstico e intervenção terapêutica.

Assista ao vídeo abaixo para aprender mais sobre como medir seu filho/a:

Baixe nosso guia útil

É importante medir a altura de seu filho/a regularmente e com precisão. Use nosso guia para dicas práticas de como medir a altura de seu filho/a.

Como registrar e monitorar o crescimento de seu filho/a

Nossa calculadora de crescimento simples de usar permite que você observe a altura esperada de seu filho/a e onde eles estão em relação ao intervalo médio. A medição regular auxiliará você a monitorar o crescimento de seu filho/a, juntamente com as idas ao médico.

Cada vez que você registra as medições de seu filho/a usando nossa calculadora de crescimento, você pode salvar os resultados e acompanhar o progresso de seu filho/a ao longo do tempo. Lembre-se, você pode baixar e levar quaisquer gráficos de crescimento com você na próxima vez que visitar o médico de seu filho/a, isso irá auxiliá-los a entender se alguma investigação adicional pode ser necessária.

Calcule o crescimento de seu filho/a

É importante acompanhar o crescimento do seu filho junto a um profissional da saúde para identificar se há um problema prematuramente.Recomendamos medir seu filho/a com acompanhamento de um médico a cada 6 meses, o que agora é mais fácil, com nossa calculadora de crescimento simples de usar e que permite que você encaminhe as medições para o médico de sua preferência.

Onde achar suporte

Como pai ou mãe de uma criança com distúrbio do crescimento, você pode estar se sentindo um pouco inseguro, cheio de dúvidas e precisando de suporte. A International Coalition of Organizations Supporting Endocrine Patients ou ‘ICOSEP’ fornece informações sobre em diferentes grupos de apoio.

Saiba mais: https://icosep.org/country-resources/

Relacionado:

Observe que não somos responsáveis pelo conteúdo de sites externos.

O conteúdo fornecido é apenas para fins informativos e não substitui a avaliação criteriosa de um médico. Procure sempre orientação médica.

Referências

Haymond M et al. Acta Paediatr 2013; 102(8): 787–796.
Lipman TH et al. Arch Dis Child. 2004; 89(4): 342-6.